20% OFF em compras acima de R$300
← Voltar

Artista da Vez #17 — Róbert Farkas

Temos muito orgulho de trazer para esta entrevista um dos artistas mais consagrados da Touts. Enviando suas artes diretamente de Budapeste para o Brasil, é dono de um estilo único e com traço marcante. Famoso por desenhar animais dos mais variados, com destaque para as raposas, responde pelo apelido de Astronaut. O ilustrador abre o jogo pra gente sobre carreira, família e trabalho numa entrevista exclusiva super bacana para se juntar ao time de peso de Artistas da Vez da Touts.

Senhora e senhores, com vocês: Róbert Farkas

Robert Farkas, da Hungria, com seu fiel escudeiro, o skate.

Como você normalmente preenche os campos “sobre” nos diversos sites e plataformas que você participa ao redor do mundo?

Geralmente copio e colo um texto padrão, que é esse daqui: “Robert Farkas é um artista digital de Budapeste, na Hungria. Ele vem de uma família com talento criativo, começando por seu avô, o famoso diretor de cinema Tamas Fejer, que dirigiu 28 filmes na Hungria entre 1937 e 1988. O irmão de Tamas, Kasmer Fejer, também é conhecido pela invenção da tinta fluorescente. A mãe de Robert se tornou fotógrafa, encorajando Robert a explorar seu talento para pintura e desenho durante sua infância e seguir os passos da família no mundo artístico. Somando o talento para pintura em aquarela com a manipulação digital, Robert criou um extenso portfólio repleto de trabalhos sem igual.”

E o que deixa de fora sobre você?

Eu sou baterista, fiz parte de várias bandas de rock alternativo desde 2007 e hoje em dia estamos fazendo uma banda de synth pop com mais outros dois malucos. Comecei a andar de skate há um ano atrás e amo passar tempo com meus amigos aprendendo manobras novas. Também sou um astrônomo amador, eu gosto muito de aprender sobre física e astronomia.

Robert Farkas em seu habitat natural.

Como foi seu primeiro contato com arte?

Foi quando eu tinha mais ou menos dez anos de idade e meu professor de desenho disse pra minha mãe: “Você deve prestar atenção nas habilidades de desenho do seu filho, porque mais tarde ele pode acabar se tornando um artista.” Nesse momento minha mãe foi a mulher mais feliz do mundo :)

Como sua família te influenciou a se tornar um artista?

Eu sou muito sortudo, porque a arte está no meu sangue. Mas pra ser sincero eu nunca quis ser um artista. Eu odiava ter que sentar e desenhar um modelo por horas e horas. Esses trabalhos da escola de desenho eram terrivelmente chatos. Eu queria ser um webdesigner e usar Photoshop ao invés de desenhar com minhas próprias mãos. Hoje eu sou grato à minha mãe, porque de alguma maneira ela percebeu que eu usaria minhas habilidades de desenho mais tarde em minha vida. Nós já brigamos tantas vezes por causa deste assunto e eu me rebelava contra a tradição artística da minha família.

Hoje em dia como você gasta seu tempo e como se mantém criativo?

Eu durmo 6 horas por dia… O que é mais do que o suficiente pra fazer meu trabalho durante o dia :) Eu trabalho em um ateliê no centro, e também tem um parque aberto de skate perto, então pra mim é o melhor lugar de Budapeste. Eu tenho tantos e-mails que as vezes não consigo dar conta, sinto que passo metade do meu tempo respondendo a eles. Toda sexta-feira eu saio com a minha esposa e tentamos ir a alguma exposição. Esses encontros são muito inspiradores. Acho que não seria surpresa pra ninguém se eu dissesse que gosto muito de sair com a minha esposa :)

O artista tira uma dia na semana para vistar exposições com a família.

Você acha que morar em Budapeste influência no seu estilo?

Acho que na época da internet e comunicações globais não existe mais essa coisa que chamávamos de “estilo húngaro”. Todo mundo está sendo inspirado por sites e comunidades como Behance o tempo todo.

Qual a maior diferença entre seu trabalho como Freelancer e como Artista?

Quando se está fazendo uma ilustração para alguém, você deve ter em mente que o produto final tem que ser aceitável. Quando estou em minhas criações pessoais eu não me importo muito com a audiência, posso só curtir a alegria de criar :)

Farkas em um passeio no parque com a família.

O que que você tem com raposas? Eu sempre vejo um monte delas em suas artes e sempre fiquei me perguntando o que existiria por trás delas!

Eu não sei porque sempre desenho raposas. Eu gosto bastante de outros animais selvagens como lobos, ursos, corujas, etc… De alguma forma esses animais me lembram de solidão e da luta pela vida. Eu gosto de expressar emoções humanas com eles.

Também pude ver que lançou um livro infantil sobre astrofísica. Conta pra gente de onde surgiu essa ideia e como você foi acabar escrevendo um livro?

Ano passado publiquei meu primeiro livro infantil chamado: Clever Fox’s Tales: About the Universe (Contos da Raposa Esperta: Sobre o universo, em uma tradução livre). No começo era só uma ideia maluca, eu queria me desafiar como um ilustrador de livros infantis. Pedi pra minha esposa escrever uma história sobre qualquer coisa, mas ela estava muito ocupada e eu acabei tendo que escrever minha própria história. Sou fanático por física, e também gosto muito de desenhar raposas. Então foi fácil escrever um livro sobre duas raposas que conversavam sobre o universo :)

Nunca esperei que esse livro fosse um sucesso, encarei mais como um desafio para mim mesmo. Hoje é um dos livros infantis mais vendidos na Hungria e as pessoas o amam. Uma editora grande vai começar a vendê-lo em Espanhol, então talvez chegue a mais lugares no mundo.

Robert e seu filho no quarto repleto de artes.

Como você acha que plataformas como a Touts influenciaram seu trabalho?

A Touts e outras plataformas são ótimas por que artistas como eu podem ganhar alguma notoriedade sobre seu trabalho com facilidade. Também são ótimos lugares para se acompanhar as tendências, mas sinceramente, hoje em dia eu mal checo os mais vendidos.

Quais dicas você daria a si mesmo no passado, enquanto estava apenas começando?

Eu não teria parado após o primeiro comentário negativo. Uma das minhas primeiras ilustrações foi rejeitada por um grande site de camisetas, e eu parei por anos. Cinco anos mais tarde eu tentei de novo e fiz minha primeira ilustração para camiseta, chamada “Rorschach” e imediatamente já estava no centro dessa indústria.

Estampa “Rorschach”, disponível aqui na Touts.

Quais são os próximos passos e o que vem pela frente?

Esse ano eu quero fazer um projeto de aplicativo de Realidade Virtual sobre o sistema solar, e enquanto isso tenho que terminar a terceira parte da trilogia do meu livro infantil. Também estou com uma ideia para um novo livro sobre crianças astronautas, então sei que 2018 não vai ser um ano entediante. Ah, e tem outra coisa: tenho que aprender a fazer um heelflip em movimento com meu skate!

Você tem algo a dizer para as pessoas no Brasil que apreciam seu trabalho?

Estou tão feliz em saber que você estão gostando da minha arte, eu jamais poderia imaginar que algum dia eu teria fãs em seu país, ou em qualquer parte do mundo. Aliás, um dos meus artistas favoritos é o brasileiro Adhemas Batista, que é o melhor ilustrador do mundo!

Os Farkas curtindo o verão :)

Pra fechar, um bate bola jogo rápido:

Uma pessoa incrível — Einstein

Uma citação—Desculpa, é em Húngaro e eu não consigo traduzir!

Uma música — September 87 — Bad Dream Baby

Uma comida — Hambúrguer

Um lugar — Nova Iorque

Felicidade é — Andar de skate

Robert por Robert — Bobo :)


Esse foi nosso papo com o incrível Robert Farkas, o Astronaut, um dos mais de 2.500 artistas da comunidade da Touts. Pra conhecer mais sobre seu trabalho e encontrar produtos com suas artes, não deixe de visitar a página dele na Touts.

Para ler entrevistas com outros artistas incríveis de nossa comunidade, dá uma conferida no nosso blog que tá recheado de histórias incríveis.

Abraço de urso,

Não vamos mandar spam nem passar seu e-mail pra ninguém, também não curtimos isso ❤