FRETE GRÁTIS em compras acima de R$189
← Voltar

Artista da Vez #23 — Math

O novo post da série Artista da Vez nos traz hoje uma figura única e com um estilo inconfundível. Sempre com uma paleta de cores leve e tons pasteis para harmonizar com seus projetos de decorações perfeitos. O jovem brasiliense se junta ao time de estrelas da Touts em uma entrevista super descontraída onde conta um pouco de tudo (até sobre a vida sexual do seu cachorro). De designer a blogueiro, e de consultor a ilustrador, ele joga nas 11, e manda muito bem.

Senhoras e senhores, com vocês: Math

Math, do Blog do Math.

Como geralmente você se apresenta nos workshops que ministra por aí?

Eu sempre digo que dei muita volta pra descobrir que eu adoro contar histórias. E não importa como, o importante é contar e criar mágica: pode ser através de uma ilustra, de peças de roupa ou de uma festa…

E também digo que tem gente de humanas, gente de exatas e PN, que é p*#$@ nenhuma. Eu sou do terceiro grupo porque não consigo me identificar só como humanas e sou zero de exatas, haha.

Editorial produzido pelo Math. Camiseta “Be a nice Human” aqui na Touts.

E como se apresenta no seu “CV”?

“Oi, eu sou o Matheus e eu não faço a menor idéia do que eu tô fazendo da minha vida.” Brinks. Mas com um fundo de verdade, porque eu sou muito inquieto e entendi que isso faz parte de mim e me abracei assim mesmo, rs.

Mas basicamente hoje eu me apresento profissionalmente como Designer (de moda, por formação, mas atuo em outras frentes), Consultor Criativo (que já contemplam muita coisa) e Ilustrador. Mas não dá pra confiar muito porque quase toda semana eu mudo isso, hahaha.

Conta pra gente sobre o Blog do Math! Como começou a ideia de criar o blog e qual tipo de conteúdo quis por lá? No começo você já imaginava que se tornaria um projeto tão grande e abriria tantas portas?

A idéia de criar um blog veio da minha vontade de ter um espaço só meu no mundo, depois de entender que meu sonho de trabalhar na Capricho, além de ser um pouco distante, não me realizaria porque eu queria um espaço MEU, com a minha assinatura mesmo (e a revista não me proporcionaria isso pq eu seria uma parte minúscula de um todo e, sim, eu sou uma pessoa centralizadora e tento melhorar nesse sentido a cada dia, rs).

Sushi e sua almofada favorita. Você encontra aqui na Touts.

Eu passei por muita coisa na minha infância e criei na minha mente um mundo particular muito leve, divertido e colorido e queria que outras pessoas pudessem fazer parte dele comigo porque eu sempre me sentia muito sozinho sendo “a diferentona do grupo” em quase todos os lugares por onde passava e achei que teria outras pessoas por aí que pudessem se identificar com essa “válvula de escape”.

No começo, eu falava de moda, cultura pop e decoração, mas era tudo bem aleatório porque eu realmente enxergava apenas como hobby/passatempo (até porque há 7 anos atrás não se falava sobre ganhar dinheiro com esse tipo de coisa, né…).

Hoje além do blog, você também tem o canal no Youtube, página do Instagram, no Pinterest e até no Spotify. Como você enxerga esses múltiplos canais e a melhor maneira de explorá-los?

Sabe aquela história de criar um mundo particular? Pois é… essa história continua e hoje esse mundo não é apenas meu.

Quem diria, tinha mais “diferentonas do grupo” por aí e a gente foi se encontrando e criando uma comunidade.
Com o tempo, minha visão sobre esse “mundo” foi amadurecendo e hoje o blog é uma janela da minha alma para as pessoas, onde eu compartilho minha visão da vida por uma perspectiva otimista e as plataformas são formas complementares de tornar essa relação de troca com a minha turma mais “sensorial”.

Sobre o melhor jeito de explorar as plataformas, dois pontos importantes:

  1. Entender bem o seu trabalho, ouvir e conhecer seu público. O que é sempre inquestionável é manter a autenticidade e a honestidade. Sem esquecer jamais que o foco deve estar em cativar pessoas, estabelecer conexões e não apenas em angariar números.
  2. Tão importante quanto entender seu público é entender cada plataforma e produzir conteúdo que seja coerente com cada plataforma, sem reciclar conteúdo de uma na outra (repostando vídeo do YouTube no IGTV, por exemplo).

Produzir conteúdo realmente não é das coisas mais fáceis da vida mas pensar em formatos diferentes para comunicar a sua mensagem é sempre um desafio muito gostoso para a criatividade.

Vídeo recente do Math :)

No blog você fala dos mais variados assuntos, desde temas divertidos como a festa de aniversário do seu cachorro até tópicos mais pesados como traumas de infância e abuso sexual. Como você escolhe qual conteúdo compartilhar e o que seu público gosta ou quer ouvir?

Eu já falei no blog e sempre falo nas redes que minha preocupação está sempre na conexão e que meus posts sempre tem que ter um motivo de existir, porque todo o conteúdo ali precisa ter alma.

Meu jeito de escolher o que compartilhar é sempre refletindo muito para saber se não estou gerando lixo virtual. Tudo o que vai ao ar é resultado de perguntas internas que devem ter como resposta “sim, isso vai ser útil e relevante para a galera”.

Em relação ao que o meu público gosta e quer ouvir, eu fui descobrindo com o tempo que havia me tornado uma referência para as pessoas em decoração com autenticidade, uso de cores e afins, mas não me prendo ao que eu já sei sobre o público porque acho que minha obrigação nesse relacionamento é de surpreender a outra parte sempre. É tipo namoro mesmo, sabe? Aparecer com algo novo e inesperado é sempre um jeito de manter as pessoas mais interessadas :)

Sushi, o galanteador.

Aliás, qual a melhor história do Sushi que você tem pra contar pra galera?

Acho que o melhor episódio ever é ele transando com meu braço num vídeo de natal que eu gravei pro canal. Viva a Família Tradicional Brasileira.

Como a arte começou na sua vida e como foi ganhando cada vez mais proporção até hoje?

Acho que soa quase ridículo falar isso, mas veio comigo e pronto, rs. Desde que eu me entendo por gente, sempre gostei de decoração, de desenhar, de festa…

A verdade que talvez nem todo mundo saiba é que eu nunca fiz uma aula de ilustração/desenho na minha vida. Na verdade, tive contato com ilustração de moda na faculdade, mas que tem um foco muito específico.

O que ajudou meu trabalho a chegar em mais pessoas e crescer foi exatamente o blog e a minha presença digital nas plataformas, juntamente com a minha teimosia de taurino em continuar, mesmo quando parecia que não estava dando em nada…

Moodboard físico.

Quais são suas principais fontes de inspiração e referências?

São tantas… rs.

Uma das principais sempre vai ser Tim Walker, que é um contador de histórias incrível e usa como ferramentas a fotografia e a moda.

O que eu falo para as pessoas sempre é que a gente precisa se permitir conhecer coisas novas sempre e sair da zona de conforto, então minha lista de inspirações é bem louca e inclui coisas diversas como cinema (Godard, Dario Argento, Wes Anderson, Sophia Coppola e Almodovar), música (Yelle, Kings Of Convenience, The Paper Kites, Katy Perry, Mahmundi), moda (Ader, Tory Burch, Kate Spade, Franco Moschino, Bando, J Crew, Dolce & Gabbana) e Fotografia (Jimmy Marble, Enrique Badulescu, Alex Praguer, Miles Aldridge), além dos diversos movimentos artísticos e criativos que acontecem pelo mundo o tempo inteiro, como as experiências pop up imersivas que estão ganhando cada vez mais espaço e destaque por aí…

(Desculpem a lista infinita, tem gêmeos bem presente no meu mapa astral, rs).

Pode nos contar um pouco mais sobre seu dia a dia hoje e como você lida com seu processo criativo na rotina?

Hoje mesmo, no caso, eu tenho dormido pouquíssimo e trabalhado em média 15 horas por dia, mas não recomendo, rs.

Ainda não consegui encontrar o equilíbrio entre centralizar e demandar, porque, na verdade, por ter um trabalho muito autoral, fica difícil demandar, quando o que eu faço é 100% produção autoral.

Dicas de objetos e estética do Math para decorações temáticas.

Em relação ao meu processo criativo, ele está relacionado à metodologia que aprendi no mundo das modas, sempre pensando em sensações e narrativa.

Eu procuro inspirações e novidades O TEMPO INTEIRO (literalmente), catalogo em infinitas pastas e em relação ao meu trabalho em si, gosto muito de mesclar analógico e digital no meio do processo.

E não tem exatamente uma linearidade. As vezes, o fim pode ser o meio ou o começo :)

Qual papel que plataformas como a Touts tiveram na sua carreira?

O principal eu diria que foi mostrar que meu trabalho não precisava ficar no status de esboço no sketchbook trancado numa gaveta, mostrando que ele tem um valor.

Eu já vinha compartilhando uma parte do meu trabalho como freebie no blog e colocar ele numa plataforma assim foi também uma outra janela de possibilidade que me permitiu chegar a outras pessoas que provavelmente eu não chegaria sozinho.

Almofada “Hello” e Quadros “No bad days” e “You’re a star” usados nas composições. Você encontra aqui na Touts.

Que dica hoje você daria a você mesmo no passado?

Teime um pouco menos — mas continue persistindo no que você acredita.

Quais são os próximos passos e o que vem pela frente?

Quem souber me conta, por favor? Rs. Eu sou uma pessoa do hoje, do agora.

Com o tempo, tenho aprendido a me organizar e planejar um pouco a frente, mas também entendi que sou uma pessoa de prazos curtos pois assim não sobra tempo pra procrastinar, rs.

Meu objetivo hoje é dar continuidade ao que eu faço, sempre aumentando a qualidade e também a proporção. Tô com um projeto meio megalomaníaco em fase inicial, embrionária e desejando muito que dê certo.

E tem umas linhas de produtos assinadas por mim chegando ao mercado logo mais -era um sonho de princesa que tá se tornando realidade \o/ (mas eu não posso falar muito ainda).

Mais uma produção incrível do Math.

Pra fechar, um bate-bola jogo rápido:

Uma pessoa incrível — Sander, meu namorado (e o Sushi)

Uma cor — arcoiro (sério, todas, porfa). Mas atualmente eu tô muito na vibe do amarelo

Um hobby — netflix and chill (quando sobra tempo pra assistir as séries atrasadas)

Uma arrependimento — Não ter ido a nenhum show de sandejunior na vida

Uma comida — Sorvete. Sempre.

Um sonho — Um estúdio de princesa gigantesco pra fazer produções malucas

Math por Math em uma frase — Eu sou um arco iris

Extra:

Você aceita Chanel de presente? — Com barras de ouro dentro, pfvr. hahaha


Essa foi nossa conversa com o incrível Math, do Blog do Math, um dos mais de 2.500 artistas da comunidade da Touts. Pra conhecer mais sobre seu trabalho e encontrar produtos com suas artes, não deixe de visitar sua página na Touts.

Para ler entrevistas com outros artistas incríveis de nossa comunidade, dá uma conferida no nosso blog que tá recheado de histórias incríveis.

Abraço de urso,

Não vamos mandar spam nem passar seu e-mail pra ninguém, também não curtimos isso ❤